terça-feira, 23 de agosto de 2016

Reciclar é bom e eu gosto!

Cá em casa somos adeptos ferrenhos da reciclagem. Temos um mini-ecoponto onde separamos religiosamente tudo aquilo que deitamos fora. E só assim nos apercebemos da quantidade imensa de lixo que produzimos e que, consequentemente, todas as famílias normais produzem.




Estava a morar em Braga, durante a fase em que frequentei a Universidade do Minho, quando colocaram perto da porta do nosso prédio vários ecopontos. Devíamos andar algures por 1998. Eu e as minhas colegas de apartamento começámos então a separar o lixo que íamos fazendo. Ainda me lembro da P., danada quando via que alguma de nós se tinha enganado e colocado alguma embalagem ou algum papel no saco errado... era logo um berro para descobrir quem tinha feito semelhante heresia.

Quando casei, o meu marido também separava o lixo, e o meu piolho nem lhe passa pela cabeça fazer as coisas de outro modo porque nunca viveu noutra realidade que não fosse a separação do lixo para reciclar. Falo com pessoas que se escandalizam: "isso é para quem não tem mais nada que fazer", "não adianta nada eu estar com esse trabalho", "não tenho nenhum ecoponto perto de casa".... enfim, as desculpas são muitas para quem prefere não se maçar com 'insignificâncias' destas. Ma será assim tão difícil de perceber que, enquanto muitos de nós escolherem enterrar a cabeça na areia, o planeta ficará cada vez mais poluído e os recursos naturais tornar-se-ão cada vez mais escassos?

Segundo a Sociedade Ponto Verde (http://www.pontoverde.pt), em 2015, os resíduos separados e encaminhados para a reciclagem seriam suficientes para:

  • produzir 700 milhões de camisolas (plástico reciclado)
  • fabricar 58.000 automóveis (metal reciclado)
  • fazer uma garrafa com 216 m de altura (vidro reciclado)
  • embrulhar 4.000 Torres de Belém (papel reciclado)
  • evitar o abate de 166.000 árvores (madeira reciclada)
(dados retirados de http://www.pontoverde.pt/sabia_que.php)   

Estes números podem ser impressionantes, mas sê-lo-iam ainda mais se todos enchêssemos diariamente os cerca de 40 000 ecopontos espalhados pelo país. O desperdício é inimigo de um desenvolvimento harmonioso e sustentável. Assim como todos temos o dever de informar as autoridades competentes quando vemos que na nossa zona não temos condições para reciclar o nosso lixo, ou porque não há ecopontos, ou porque ficam rapidamente cheios e demoram a ser esvaziados... enfim, todos podemos dar o nosso contributo. Se um planeta verde é vital para que tenhamos uma vida saudável, também cada um de nós é vital para que o planeta continue verde.


            

                  

Sem comentários:

Publicar um comentário

Muito obrigada pelo seu comentário, vou ler com toda a atenção e responder aqui no post :D Se tem um blog, não se esqueça de deixar o endereço, quero muito conhecê-lo ;)